17 setembro, 2016

Louvor e Adoração

Lendo sobre louvor e adoração, finalmente entendi a diferença dos dois, devemos louvar a Deus por aquilo que ele fez, faz e fará, lembrando dos seus grandes feitos, devemos adorá-lo por tudo aquilo que ele é, santo, majestoso, soberano.

Enquanto o louvor precisa de outros para ocorrer ou de pelo menos alguns instrumentos, adoração precisa de comunhão, tu e Deus! No louvor não precisa que a pessoa sinta a presença do Espirito de Deus, uma bela voz, notas bem cantadas não significam, presença divina! A adoração em si, é a própria presença de Deus, comunhão com o altíssimo. 

O louvor pode ser entoado por lábios, à adoração só existe se vier da alma! Muitos louvam sem nunca terem adorado, mas todo o que adora louva!

Graça e Paz,
Fernando Saraiva

A Lei da Semeadura

A lei da semeadura (Gálatas 6:6-9) não se refere a plantar dinheiro, investir no dizimo ou aplicar em campanhas e bolsas de valores das orações deterministas. A lei da semeadura, diz respeito às más e boas ações do homem, ao fato de plantarmos amor, ao invés de ódio, amizades no lugar de inimizades, serviço no lugar de preguiça.

Alguns versículos isolados, não fazem toda uma teologia, e muito menos metade de uma! Deus não vai abri as portas do céu por uma suposta fidelidade financeira, visível somente aos homens, Deus quer um conserto de alma e corpo (Malaquias 3:10-16) e não um mero ajuste financeiro, o gafanhoto devorador não é um espírito, mas sim um gafanhoto mesmo, Deus não falava a um indivíduo, mas a um povo!

Ser fiel é se apropriar da boa semente, e vai muito além da esmola dada diante dos homens para ser louvado (Mateus 6:1,2), plantar a semente, requer nascer da água e do espirito (João 3: 1-15), viver uma fé não fingida, uma boa consciência e um coração puro (I Timóteo 3: 1-5).

A lei da semeadura, não se relaciona a fazer voto, um propósito, que está mais para voto de tolo (Eclesiastes 5: 4-5), mas sim, em confiar naquele que faz a semente crescer (1Coríntios 3:6), mesmo estando no deserto.

Semear para Deus, vai muito mais além do que uma simples ação, ou ato de fé e esperança, semear para Deus se relaciona a aquilo que está no coração do homem (Lucas 6:45), e não somente na aparência exterior que homem apresenta (1 Samuel 16:7), para alcançar prestigio e status (Mateus 19.16-23).

Semear para Deus é saber que “ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado;Todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação. O Senhor Deus é a minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas. Habacuque 3:17-19.

Graça e Paz,

Fernando Saraiva

30 julho, 2016

O jardineiro e seu jardim

Eu Sou a videira, vós os ramos. Aquele que permanece em mim, e Eu nele, esse dará muito fruto; pois sem mim não podeis realizar obra alguma. - João 15: 5


Quem já cultivou um jardim sabe muito bem o trabalho que se tem. Todos os dias levanta-se bem cedo para regá-lo, a água tem que ser espalhada na medida certa, nem a menos ou mais…

Por vezes é necessário arrancar alguns galhos mortos que embora estejam nessa condição, impedem que a planta se desenvolva no seu tempo certo. Por vezes ainda é necessário arrancar plantas oportunistas que se infiltram no jardim, com a única finalidade de parasitar-lhe roubando-lhe energia, e a longo prazo provocando a sua morte.

O jardineiro experiente sabe muito bem que um jardim por mais que pareça bonito, que tenha suas plantas e gramas aparentemente sadias, elas podem esconder graves problemas em suas raízes, sendo por vezes ainda necessário descartar uma parte dele e reconstruir outra em seu lugar...

Quem já cultivou um jardim, sabe muito bem que são necessários poucos dias sem a presença do jardineiro experiente para que o jardim comece a perder sua beleza e vitalidade, mãos inexperientes começam a regá-lo em horários inapropriados, quando regam, não sabem distinguir a boa semente da má, os galhos secos dos vivos, as plantas do jardim das oportunistas, sua negligência faz com que as raízes sejam abaladas e o jardim comece a morrer lentamente...

Nessa história o jardineiro experiente é Jesus, que sabe a dosagem exata de água, sabe da necessidade de arrancar os galhos mortos, de arrancar as plantas oportunistas, reconstruir metade ou o jardim inteiro, que
sabe que há problemas que se escondem na raiz muito embora apresentem uma aparência saudável.

O jardineiro experiente se distingue dos outros jardineiros no trato com seu jardim. Assim como ele é ele deseja que o jardim seja... 

Que possamos alegremente saber que Cristo em sua soberania cuida de cada um de nós como o jardineiro experiente cuida de seu jardim, tornando-se um com ele. E mesmo que não entendamos certos processos de restauros que passamos, que podem até deixar cicatrizes em nossa vida, Cristo Jesus, sempre reconstrói para poder dar vida e vida em abundância!

Glórias ao criador por isto!
Fernando Saraiva


29 julho, 2016

Além da cabana de nossa alma!


Entretanto, Yahweh assegurou a Samuel: “Não te impressione diante da aparência nem da estatura desse homem, pois Eu o rejeitei. Eis que Deus enxerga não como o ser humano vê, porquanto o homem julga e toma em elevada consideração a aparência, mas o SENHOR sonda o coração.” - 1 Samuel 16:7

Você já parou para pensar como seria olhar para o nosso interior  com os olhos de Deus? Será que todo esplendor do nosso corpo, da nossa justiça, da nossa religiosidade passaria pelo crivo dos olhos daquele que nos sonda?

Algumas pessoas ao se converter ao Senhor, no sentido de estarem indo a uma igreja/templo, acham que a mudança que precisam ter se resume a aparência, acreditam ainda que a prosperidade é a fiel prova de que Deus Jeovah está com eles... Pobres almas, Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens! (1 Coríntios 15:19)

O rei David, não tinha todas as características esperadas de um rei, sua família era a menor de sua tribo, ele era o menor de seus irmãos, o mais moço deles, jovem, baixinho e franzino, o que se esperar de uma pessoa dessas? Ser rei? [Mas] Ele superou todas as falsas expectativas do profeta Samuel, que possivelmente esperava alguém com belo porte assim como o fracassado rei Saul.

David não mais como pastor de ovelhas de seu pai, mas agora na condição de rei em Israel, não teve por Deus, nenhum de seus pecados ocultos não revelado, foi mau pai, um marido ruim, adúltero e homicida, logo ele a quem o senhor chamou de "o homem segundo o coração de Deus"!

Muitos foram aqueles que abandonaram a David quando este perdera o seu prestígio no reino, seu nome virou escárnio e chacota, poucos é verdade permaneceram fiéis a ele, isso lembra alguém?

David em muitos elementos de sua vida tipifica uma espécie de Cristo, rejeitado pela aparência, traído pelos seus irmãos e amigos, mas que retornou[retornará] no esplendor da glória de seu Deus.

Muitos aspectos similares podemos encontrar entre eles, assim como a David, muitos esperavam o Cristo de Deus como sendo, um messias guerreiro, bravo, um libertador glorioso em status, aparência e poder, mas, foram surpreendidos pela simplicidade e sabedoria de um homem que nasceu em um estábulo e que não tinha aonde reclinar a cabeça, Jesus foi além da aparência, ensinando aos mestres e doutores da lei como sendo e tendo a autoridade devida de quem conhecia o Pai.

O rei David representa um homem que mesmo segundo o coração de Deus ainda carece de graça, carece de Deus... Jesus é a própria corporificação da graça de Deus. Ambos ao seu modo e a seu tempo, nos dizem muito sobre o perfil da testemunha fiel do criador.

A nossa aparência externa pode até está bem ornamentada, mas o Criador vê além, ele não esconde nossas falhas, fraquezas, nossas paixões, mas faz com que nelas encontremos a verdadeira fé, paz e vida que só o Senhor Deus tem e preparou para os seus eleitos!

Que possamos fugir da aparência do corpo desta vida, e nos aproximemos confiantemente a Cristo nosso redentor, em fraqueza, em verdade, em sinceridade e em espírito! Um coração humilde e quebrantado vale muito mais do que mil casas do tesouro do rei mais rico do mundo.

Que Deus em Cristo seja glorificado sempre, Amém!
Fernando Saraiva

25 junho, 2016

Falsa Luz


Diz à Sabedoria: “Tu és minha irmã!”, e ao Entendimento considera teu parente próximo; eles saberão te manter longe da mulher imoral e da pessoa leviana e bajuladora. Provérbios 7:4,5

Ao analisar a influência maligna no mundo, podemos perceber que hoje, diferentemente de anos atrás, esta não estar pautada no embate direto, em um antagonismo claro e clássico... luz e escuridão por exemplo, mas sim, na pretensa demonstração de uma luz em oposição a luz verdadeira.

Atualmente posso perceber a utilização de outras arma, artimanhas suaves, lisonjas, que de forma lenta e suave, vem fazendo morada no coração (sentimentos) e na razão do homem (racionalidade).

Antes tínhamos a clara noção do que era mau e perverso, do que era laço e do que era trevas... Hoje muitas são as palavras de sedução que engordam nossos corações, palavras de livramentos, sucessos e vitórias (Jeremias 7: 3-5), que no final podem conduzir, a frustração, angústia e morte, pois aqueles que ouvem palavras lisonjas e não as esquadrinhar em seu coração... cedendo a elas, perecerá em amargura. 

Que possamos, assim como disse o autor de provérbios 7, atar em nossa alma, os mandamentos do Senhor, a sabedoria e o entendimento que provém dele, e não dar razão ao nosso enganoso coração (Jeremias 17:9)!

Graça Revelada a todos!

Fernando Saraiva


10% de Graça


O problema do cristianismo assim como boa parte das religiões é que estas institucionalizaram seu "deus", aquelas que baseiam sua estrutura é um templo, chamam eles de "a casa de deus", reduzindo seu "deus" há um ajuntamento cínico de tijolo, cimento, barro e concreto.

Por vezes nos amedrontam com os horrores do inferno, ou com os gafanhotos do apocalipse que a tudo devoram, principalmente a saúde e o dinheiro. Como uma droga entorpecente o "sentimento religioso" se apodera de nossas faculdades, e a tudo quanto asneiras aceitamos sem julgarmos com a reta justiça.

Se você não contribui para a "obra de deus", ou se levantar questionar a "pseuautoridade" daqueles que se apossaram das chaves do reino, o próprio "deus" descerá de seu trono e te punirá com todas as sortes de males.

Ensinam estes, a temer um deus sanguinolento, punitivo e egoísta, que ao leve sinal de "desvio" te atira as mais duras provas do inferno para que você volte e "aceite novamente ele"...

Se ao invés de depositarmos os 10% nas mãos de homens corruptos, dedicássemos a assistir os órfãos e viúvas em tudo aquilo que necessitam, passaríamos entendermos o verdadeiro significado da GRAÇA de Deus, entenderíamos que se a graça de Deus me basta, não é mais necessário apresentar nenhuma espécie de sacrifício no templo como ainda é o costume de alguns.

O Deus da graça não desiste de nós, pois de maneira alguma, alguém nos arrebatará de suas mãos. Quando "sinonimatizamos" Jesus, ao templo, ao denominacionalismo, ao religiosismo, não só tornamos pequeno o seu nome, como nos distanciamos de sua graça perfeita.

Graça revelada,



Fernando Saraiva

Folhas Secas

Os últimos românticos ainda existem, apesar do mundo andar meio "desromantizado".

Por vezes o amor bate a porta e o negamos, não damos a oportunidade dele florescer e se tornar a mais bela flor de nosso jardim. Por vezes, mais frequente do que pensamos, transformamos o nosso coração em um jardim mal cuidado, com flores secas, árvores murchas, que nem mesmo as mariposas querem fazer abrigo...Imagina as borboletas?

O romantismo bobo, alegre, gostoso faz com que as nossas almas se tornem uma, nossos corpos se tornem um, e mesmo quando eles já mortificados pelo tempo não sejam tão atraentes assim, ainda assim, aquele mesmo desejo de serem um, ainda prevalecerá.

Os últimos românticos ainda vivem, pois seu romantismo não está pautado na estética, no efêmero, mas, em tudo aquilo que o alvo de seu amor representa.

Ninguém vive somente dias solares, festivos e férteis, o verdadeiro amor, supera os dias frios, as noites cálidas do destempero da TPM, da chegada da menopausa, da transformação do corpo, do enfraquecimento do vigor.

Eu particularmente me recuso a aceitar, que a última geração de românticos morrera igualmente como a última geração de crianças que brincaram nas ruas, bebiam água da torneira, que machucavam o joelho e usavam o temido Merthiolate para sarar.

Apesar de vivermos em um mundo "desromantizado" , cujo os valores são outros, os últimos românticos ainda estão por aí... E que bom que estão, pois a primavera ainda existe e as flores no jardim ainda florescem, deixemos de ser então folhas secas sem vida.

Pedaços de graça,

Fernando Saraiva 

Diário dos Sonhos


Tem dias ... noites madrugadas, que queremos é esquecer certos alfas e ômegas, esquecer certas dores e passos.

Tem dias ... noites madrugadas, que tua mente é convidada a vagar em meio a sussurros inteligíveis, sensíveis honestos.

Tem dias ... noites madrugadas, que o que mais queremos é infringir o tempo, obtuso, raso profundo duas derrotas seguidas. A não existência e seu reinício.

Tem dias... noites madrugadas, que mesmo ao e em meio ao descompasso da vida, passo a passo e lentamente, floresce o desejo de vencer o descontrole da mente.

Tem dias ... noites madrugadas, perdidas, desinteressantemente vividas, que o melhor e mais simples é não acordar e não ter que ver o reflexo opaco, ofuscado e vazio de seu rosto tépido no espelho.

Tem dias... noites madrugadas, que deixamos aberta a janela da alma e todos aqueles viventes ou não, podem por um tão breve momento eterno, ascender a materialidade dos vestígios do diário dos sonhos.

Tem dias ... noites madrugadas, que reservo pra mim e me debruço sobre a frágil escrivaninha da vida "fugaz mente" leio, releio e reviso o meu, diário dos sonhos perdidos...

Graça e Paz

Fernando Saraiva 

Tempo: Morada dos Vivos

A cada dia um recomeço, incerto, impreciso, intangível, apenas um recomeço!

Em meio a silenciocidade do tempo morremos, renascemos, mortos vivos seremos, de mentes serenas, perturbadas, mentes caídas perdidas!

Dia após dia, não nos damos conta que morremos todos os dias. Morremos alegres, morremos tristes, mas sempre morremos reclinado com a cabeça no travesseiro da vida.

Que morte tranquila, esta que se processa entre os lençóis de veludo... outro nome que criamos, dormir, nada mais é que a suspensão da vida, e quando dormimos nos encontramos vencidos, perdidos, fazendo pedidos! E Nesse momento crepuscular perfeito e pré feito, o invisível trabalha, reconstruindo, mascarando, remodelando, a caricatura finita de nosso ser.

Dia após dia, tentamos resolver problemas, vivermos amores, dividimos tempo sorrindo, cantando e chorando, sem sabermos ou nos darmos conta que ... o tempo devorará tudo. Inclusive os nossos risos e lágrimas.

A cada dia um recomeço, incerto, impreciso, intangível, apenas um recomeço! Mas... Se desistíssemos de tudo? Não saberíamos, não viveríamos nada disso tudo que nos faz morrer e nascermos todo santo dia. Celebremos a vida, celebremos os amigos, celebremos o hoje, pois hoje, hoje, hoje estamos vivos!

Graça e Paz

Fernando Saraiva

A salvação do sábio

Disse certa vez um príncipe menino, rei jovem sábio velho decadente e arrependido, que viriam dias nos quais não teríamos contentamento, dias dos quais os guardas da casa tremeriam, as portas da rua fechariam por causa do baixo ruído da moedura, e que igualmente o apetite pereceria ...

Chamado de sábio e o pregador em Israel, fez provérbios, melodias de amor ... E resumiu todo o serviço que se fez, faz e faremos debaixo do sol como sendo Vaidade das Vaidades, porque dizia ele ... Tudo é vaidade!

Ao chegar o findar de sua existência, dos muitos prazeres se entregou e de tudo aquilo que acreditava, pelas paixões as trocou... Pobre sábio triste pregador, do discurso refém se tornou.

A história não diz, resolveu caprichosamente esconde-nos o seu destino, mas assim como às palavras do sábio, fixadas pelo mestre das assembleias, reviveremos o nosso destino, e ao pó certamente regressaremos...

E enfim o nosso espírito estará novamente em casa ... Mas antes que a janela do tempo se fechasse, o pregador menino, sábio príncipe, rei decadente e arrependido, ao meu ver, demostra ter achado o caminho de volta, e lembrando dos tempos da sua mocidade disse que de tudo que se tem ouvido, filho meu atenta para isto! O FIM é temer a Deus, porque isto é o deve de todo homem!

Graça Revelada,

Fernando Saraiva

O falso profeta que mora em nós!

Em minhas crônicas vividas, analiso, como é fácil se colocar à parte dos outros. Se distanciar da realidade do próximo, mesmo às vezes, quase sempre, vivendo ou presenciando as mesmas histórias daqueles que nós acusamos de serem hipócritas e ou falsos profetas.  

Enquanto muitos se atentam a atirar bravatas do púlpito contra os falsos profetas e falsas igrejas, que sempre invariavelmente são as igrejas dos outros e nunca as suas próprias, falta-lhes reconhecer que ninguém quer sair da sua própria igreja e trabalhar pela unidade do evangelho, sem denominacionalismos baratos, hierarquias, bajulações, prestígios, politicagem e dinheiro.

Essa tarefa não recai somente aos pastores e as lideranças da igreja, mas é dever de todo cristão que ama e zela pela palavra, e ousa viver aquilo que se prega nos púlpitos  e que se encontra nas escrituras. 

Enquanto não reconhecermos nossos erros e limitações, as falhas e vícios que se encontram, em nossa própria “casa”, dificilmente entenderemos como é difícil sermos cristãos. 

Devemos deixar o orgulho de lado, o status e os cargos que ocupamos em nossas congregações, e abraçarmos a missão árdua e menos "holofótica" de reformamos a nós mesmos e o nosso evangelho corrompido pela perda da identidade da igreja cristã evangélica, que depois de quase cinco séculos de protesto, se dividiu tanto, que nem mais enxerga a sua própria origem! Devemos enfrentar o falso profeta que mora em nós, caso contrário, estamos a mercê de vivermos aquele outro evangelho que o Paulo já haviam informado que muitos começaram seguir

Paz e graça,

Fernando Saraiva

24 junho, 2016

Teologizar-se

Escrito em: São Luís, 19 de março de 2013. 

Teologizar, é teologizar a alma e esquecer dela! Teologizar a mente e torná-la vazia. Teologizar é a “ciência” que tenta desvendar os “mistérios” de Deus, do caos, do tudo, e do nada!

Teologizar, é uma teoria dentro de outras tantas, da qual escolho a melhor e a mais confortante, como: verdade absoluta, que eu mesmo relativo quando eu quero, afirmando que o pecado é ou está inserido nos prazeres que os outros sentem, e que eu mesmo o faço!

Teologizar, é trazer Deus, da esfera invisível de sua morada, para as lentes das dúvidas, dos tubos e ensaios científicos, é trazê-lo perante o tribunal que um dia, ele mesmo nos colocara!

Teologizar, é fazer o ridículo, é trazer o imaterial para a materialidade da vida, si é que é possível, é tornar o espírito um corpo vazio.

Teologizar, é a forma em que os racionalizantes racionais tentaram creditar Deus, os mistérios do universo, mas que somente trouxeram consigo as incertezas póstumas de um deus morto e ou distantes dos seres humanos.

Teologizar, é fazer perguntas difíceis e mesmo assim, se agarrar a um nanocientífissimo, de uma fé possível...

Teologizar, é de certo modo aventurar-se por um oceano de incertezas e mesmo assim manter-se vivo e agarrados nos destroços do navio, e ainda assim creditar a Deus a sua salvação, sendo que ele mesmo não impedira que outros padecessem ao seu redor…

Teologizar, é se colocar no lugar de DEUS e se questionar ...“Se é certo que um deus fez este mundo, não queria eu ser esse deus: as dores do mundo dilacerariam meu coração”. Arthur Shopenhauer

Pedaços ausentes de graça e vida,

Fernando Saraiva

05 março, 2016

Se eu minto a respeito de mim mesmo... Como poderei falar a respeito de Deus?

"Mas esmurro o meu próprio corpo e faço dele meu escravo, para que, depois de haver pregado aos outros, eu mesmo não venha a ser reprovado." Paulo de Tarso, [ I Coríntios 9:27 - KJA]

Falta em nós o exercício consistente, coerente e sincero de nossas consciências. Há em muitos casos, um abismo entre o que pensamos, o que falamos e como agimos. Apontar os erros do outro, sem dirigir críticas a sua própria postura, a sua maneira de agir e pensar, é hi.po.cri.sia... é falácia!

Muitos vivem de mentiras, suas ideologias não correspondem aos fatos, Eu mesmo, não vivo metade do que falo, e Cristo, a quem creio como sendo meu redentor, o sabe bem! Mas, ter a consciência disso, de que Eu não correspondo aos fatos, não valerá de nada, se minha consciência continuar cauterizada, insensível e dissimulada, enxergando nos erros do outro, a minha própria justiça, perante os meus próprios erros, soberbos!

"Ora, [SE] todos nós estamos na mesma condição do impuro! Todos os nossos atos de justiça se tornaram como trapos de imundície. Perdemos o viço e murchamos como folhas que morrem, e como o vento as nossas próprias iniquidades nos empurram para longe." Isaías 64:6 (KJA) e em Romanos 3: 10-14 (NVI) "Como está escrito: "Não há nenhum justo, nem um sequer; não há ninguém que entenda, ninguém que busque a Deus. Todos se desviaram, tornaram-se juntamente inúteis; não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer". "Suas gargantas são um túmulo aberto; com suas línguas enganam". "Veneno de serpentes está em seus lábios". "Suas bocas estão cheias de maldição e amargura" 
 
Assim nos tornamos, quando perdemos o alvo de Cristo em nossas vidas, como folhas secas passamos a falar e agir com a feição da religião, que perdera o seu objetivo de nos religar a Deus, mas, apenas nos viciamos a externalizar a nossa vontade de aparentar, espiritualidade ou proximidade de Deus.
 
Todos os nossos atos de justiça se tornaram como trapos de imundície, perante Deus e seu Cristo... Imagina as nossas injustiças, mentiras e dissimulações? Que mal atravessam a porta do quarto onde dormimos! EIS o peso da religião que carrego!

Murchamos como folhas, nos reprovamos como servos, filhos, amigos e escravos de Deus... Ser Cristão da porta de casa para rua.... Qualquer um pode ser... Mas é justamente, quando EU estou só com DEUS, no único lugar que EU SOU, COMO SOU, eu minto sobre mim. E se eu minto a respeito de mim mesmo... Como poderei falar a respeito de Deus?

Paz e Reflexão,

Fernando Saraiva

LinkWithin -

Related Posts with Thumbnails